• Roberto Cazzetta

Guia do Fundo de Renda Fixa: tudo o que precisa saber sobre o assunto!

Se você não sabe o que é um fundo de renda fixa, está perdendo uma chance de ter um bom lucro e variar sua carteira de ativos. Essa é um opções vantajosa tanto para investidores com anos de mercado e, se está iniciando na área, essa modalidade de investimento pode ser sua porta de entrada para o mercado.


A EA Banking School preparou um material completo para te explicar os detalhes mais importantes sobre esse tipo de investimento, seu funcionamento e como você pode começar a trabalhar com ele!

Leia também nosso conteúdo "Fundo de investimentos: opções para diversificar a carteira!".


O que é Fundo de Renda fixa e como investir?

O que é Fundo de Renda Fixa?


Como já explicamos, os fundo de investimentos são recursos de um grupo de pessoas ou instituições que são aplicados em conjunto em ativos variados. O fundo de renda fixa nada mais é que um desses tipos de aplicação, com o diferencial de possuir uma carteira de investimento focada majoritariamente em ativos de renda fixa.


Enquanto outros mercados colocam seu dinheiro em ações com rentabilidade variável e imprevisível, os de renda fixa optam por ativos que têm uma ligação à inflação ou à Taxa Selic – CDB e Tesouro Direto são apenas alguns dos exemplos desse tipo de aplicação.


O grupo de investidores que opta por essa modalidade, o faz porque os lucros nesses casos são possíveis de se prever. Além disso, o mercado de rendimentos fixos acaba sendo bem vantajoso.


Prova disso é a quantidade de especialistas do ramo financeiro que escolhem esse tipo de ativo. Os dados divulgados pela Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de apitais) que demonstram que no primeiro semestre de 2021 mais de R$95 bilhões foram colocados em fundos de renda fixa.


Como funcionam os Fundos de Renda Fixa?


O funcionamento dos fundo de investimento de renda fixa é muito semelhante aos outros tipos de conjunto de aplicações. Ou seja, um grupo de investidores confia seu dinheiro ao gestor da operação e recebe os juros dessa operação após certo tempo.


O que muda é que nesses casos é possível ver as tendências de mercado com mais exatidão, afinal a margem de ganho está atrelada ao crescimento ou queda de índices previsíveis, como a inflação. Nessa situação o ganho de cada investidor do fundo seria a variação do IPCA somado a uma taxa fixada antecipadamente.


Fica a cargo do gestor do fundo decidir em quais ativos serão colocados os recursos dos participantes, e essa informação precisa estar explicitada na lâmina de investimentos. Então, mesmo que esse investidor queira variar a carteira do grupo, existirá alguns parâmetros para essa ação, impedindo que ele coloque em risco todo o dinheiro confiado ao fundo.

Os fundos de renda fixa até podem conter alguns ativos com riscos maiores, mas ao menos 80% de sua carteira ainda deve ser focada em aplicações ligadas à Selic e à inflação. Caso contrário, o fundo não se enquadra nessa categoria.

Aqui no blog já falamos sobre o que é lâmina de fundo de investimentos, então confira o texto para descobrir mais sobre esse tipo de documento indispensável para quem atua no mercado financeiro e deseja iniciar uma nova operação em um fundo de renda fixa ou não!


Como a Taxa Selic interfere nesse investimento?


Assim como o que explicamos sobre a inflação, a interferência da Taxa Selic impacta diretamente no quanto cada investidor irá ganhar ao fim da operação. Como existe uma média anual desse encargo, é possível saber que, no mínimo, receberá o correspondente a sua variação durante o período.


Dessa forma, podemos entender que se a Selic cresce, os ativos ligados diretamente a ela crescem. Da mesma maneira, se há uma baixa nessa taxa, as aplicações gerarão menos lucro.


Quais os custos desse tipo de investimento?


Os custos de um fundo de investimento – seja ele de renda fixa ou variável – é outro ponto importante para se entender sobre seu funcionamento. Como essa modalidade de negócios é considerada como um "condomínio aberto", existe uma taxa administrativa a ser paga pelos participantes para quem está gerindo toda a operação.


Além desses encargos, existem taxas de performance pré-estabelecidas por cada fundo e os Impostos por Operação Financeira (IOF). Dependendo do tempo que deixar seu dinheiro investido, também precisará lidar com as cotas de Importo de Renda e nesse ponto a lógica é: quanto mais tempo sua aplicação ficar ativa, você pagará menos para a Receita Federal.


Quais os tipos de Fundos de Renda Fixa?


Existem diferentes formas de classificar um fundo de renda fixa conforme o tipo de ativos que ele possui em sua carteira de investimentos. Confira quais são essas divisões!

  • grau de investimentos: a carteira possui mais de 80% de seus investimentos em títulos públicos brasileiros que são de baixo risco tanto no mercado interno quanto no externo;

  • investimento no exterior: fundos que possuem mais de 40% de suas aplicações em ativos no exterior;

  • soberano: a carteira de investimentos é composta apenas de Títulos Públicos Federais do Brasil;

  • crédito livre: são os fundos que optam por colocar cerca de 20% de seus recursos em ativos de médio e alto risco, independente se estes são nacionais ou internacionais;

  • dívida externa: seus investimentos em títulos da dívida externa nacional corresponde a menos de 80% dos recursos totais.

Como investir em Fundo de Renda Fixa: passo a passo!


Não é difícil começar a investir na modalidade de Fundo de Renda Fixa. O mais importante é comparar as opções disponíveis no mercado e escolher a que parecer melhor para sua carteira de investimentos pessoais. Preparamos um passo a passo simples que te ajudará no momento de iniciar nessa modalidade de aplicação. Confira!

  1. Procure na CVM (Comissão de Valores Mobiliários) opções de fundos;

  2. Estude a lâmina do fundo de renda fixa e entenda se aquela operação corresponde ao seu perfil de investidor;

  3. Confira qual o histórico de performance dessa operação, para ter mais certeza se este é um bom negócio;

  4. Calcule quanto terá que pagar de taxas administrativas e outros encargos;

  5. Compare as opções que mais lhe interessar e decida em qual investir seus recursos!

Sabendo o que é fundo de renda fixa, como funciona esse tipo de ativo e o passo a passo de como iniciar nesse mercado, avalie se esse estilo de investimento faz sentido para seus objetivos de curto e longo prazo. E se achar que não seja esse a melhor opção para sua carteira, não tem problema!


Aqui no blog da EA Banking School sempre trazemos excelentes opções para quem trabalha no mercado financeiro. Explore nossos conteúdos e até a próxima!