Entendendo o free float: definição, importância e como medir



Entre os diversos parâmetros que são fundamentais na rotina de análise dos especialistas em investimentos, a discussão sobre o free float é uma das mais importantes para dar propriedade à tomada de decisão de diferentes perfis de investidores e profissionais, por isso vale a pena entender a que diz respeito essa métrica e como agregá-la às suas análises.


Afinal, o que é free float?


Podemos dizer que o free float se refere ao volume de ações que circulam livremente, em tradução mais literal.


Isso porque o termo faz referência ao volume de ações de uma empresa que estão em fluxo entre acionistas minoritários. Quer dizer, todos aqueles ativos que não estão enquadrados nas seguintes condições:

  • Ações em posse de acionistas controladores e outras pessoas ou empresas relacionadas a ele;

  • Ações que pertençam a membros da administração daquela empresa;

  • Ações que estão na tesouraria da empresa

  • Ações de categoria preferencial, que permitem algumas prerrogativas na condução de políticas da empresa em questão.

Dentre todas essas condições existe uma concentração de ações e, consequentemente, de poder sobre as decisões dessa empresa distribuídas nas mãos de poucos acionistas. Esses acionistas muitas vezes são agentes ligados a setores da própria empresa, de forma direta ou indireta.


As consequências do índice de free float


Quando acontece a situação que mencionamos, em que existe uma grande concentração das ações empresariais nas mãos de membros ligados à própria empresa, o índice de free float fica baixo.


O contrário também acontece: quanto maior a diluição dessas ações entre acionistas comuns e minoritários, maior o índice de free float.


Mas o que pode acontecer em cada um dos casos?


Índices baixos de free float


O índice mínimo que uma empresa de capital aberto pode ter em free float é de 25%.

Quanto mais baixo esse número, maior sua concentração e, por consequência, maior a prerrogativa de um grupo pequeno e muitas vezes ligado aos próprios interesses da empresa que pode tomar suas decisões.


Para além disso, os impactos desse índice entre os investidores comuns tem muito mais a ver com sua liquidez.


Isso porque, quanto maior a concentração, menor a tendência de alguns investidores quererem comprar aquelas ações, logo, no evento de uma desvalorização ou, pelo contrário, de uma boa oportunidade de lucro no caso dos investidores que trabalham sobre a análise do tape reading, mais difícil vai ser conseguir vender essas ações.

Em termos básicos: na hora H, será mais difícil efetivar o lucro ou evitar o prejuízo se o free float for baixo.


Outro problema é o da volatilidade. Imagine que, quanto mais diluídas estiverem as ações de uma empresa, mais difícil que uma mudança brusca aconteça. Logo, essa boa distribuição preserva a estabilidade daquele ativo.


Por outro lado, quanto mais concentradas estiverem suas ações, mais chances de qualquer mudança no manejo daquelas ações causar um impacto inesperado no planejamento de médio-longo prazo dos investidores médios.


Índice de free float alto


Investidores mais conservadores tendem a buscar por índices de free float altos. Isso é natural, uma vez que oferece maior estabilidade por conta dos motivos que acabamos de discutir.


Essa boa diluição dá mais segurança na hora distribuir o capital a fim de diversificar os investimentos, e ajuda a tornar uma empresa mais competitiva dentro do mercado.

O número ideal do free float costuma ser quanto mais próximo dos 100%, melhor, pois isso significa que a empresa fica obrigada a ter uma grande responsabilidade com seus papéis.


Isso também evita consideravelmente o risco de fechamento de capital, afinal, quando uma empresa está com problemas em manter seu capital aberto, quer fazer mudanças importantes ou ser fundida, ela precisa realizar essa compra massiva.

E quando esse evento acontecer, ele pode afetar os portadores de seus papéis, que podem acabar perdendo valor ou interrompendo suas estratégias de longo prazo.


Aprenda como consultar o free float


No portal da B3, você consegue visualizar nos dados de uma ação o seu volume de ações ordinárias e preferenciais e, ao lado, na última coluna, uma informação percentual. Esse número diz respeito ao free float atualizado daquela ação.


Cuidado com a simplificação da análise


Todo planejador financeiro precisa ter cautela ao interpretar e discutir esse índice, afinal, ele faz parte de um conjunto de informações sobre a saúde de um ativo, e por isso deve ser analisado dentro de seu contexto.


Há muitas empresas que têm um free float baixo, mas uma história consolidada e ativos disputados, o que pode garantir boa liquidez.


Do mesmo jeito que empresas com um alto free float podem estar inclinadas ao risco ou com maior parte de suas ações na modalidade preferencial, por exemplo.


É um importante aprendizado bancário não se fiar em poucos índices, mas sim dentro de seu contexto e também seu histórico.


Aqui na EA Banking School você estuda para ter uma carreira bancária completa, dominando o mundo dos investimentos. Prepare-se para garantir as melhores certificações com nossos especialistas e fique por dentro da carreira bancária acompanhando nosso blog!