• Gustavo Calçavara

Fair Play Financeiro: conceito que domina os campos e as negociações!

O Fair Play Financeiro pode até ser uma novidade para quem não é muito fã de esportes. No entanto, aqueles que acompanham partidas de futebol, certamente já ouviram falar sobre o "jogo justo", que sempre é pedido pelo juiz aos capitães. Esse conceito, que por anos esteve presente apenas dentro de campo, acabou se expandindo e ganhando o território das finanças.


A EA Banking é referência quando se trata de se manter atualizado com as mais importantes tendências do setor monetário. Por isso, é claro que não poderíamos deixar de preparar um conteúdo com as principais informações para tirar dúvidas dos profissionais do mercado financeiro sobre o assunto. Continue sua leitura e entenda mais sobre essa modalidade de negócios!


Veja também nosso post sobre a importância da qualificação para atuar no setor financeiro!


Banner do post escrito "Entenda o que é e como funciona o Fair Play Financeiro

Aprenda o que é o Fair Play Financeiro


Esse conceito diz respeito a certas regras para os clubes esportivos manterem sua saúde financeira mesmo com as contratações de jogadores, transações que podem custar muito alto e acabar comprometendo o caixa de um time. No ímpeto de buscar o melhor time para estar em campo com seu brasão, muitas equipes acabavam burlando outros pagamentos necessários para cobrir os altos salários das estrelas do futebol.


O termo Fair Play surgiu durante a Olímpiada que deu início aos jogos que acontecem até hoje, a cada quatro anos. Na competição de 1896, o idealizador do evento, Barão de Coubertin, falou pela primeira vez sobre esse ideal. Ele defendia que não se pode disputar uma modalidade com más intenções, ou seja, sem o espírito esportivo. Não é sobre deixar de buscar a vitória, mas alcançá-la de uma forma justa.


Esse pensamento se propagou tanto que, ao jogar o Cara ou Coroa no início de uma partida de futebol, os juízes ainda cobram dos jogadores o Fair Play – um jogo limpo. No entanto, não faria sentido buscar seguir as regras dentro de campo, se fora deles as diretorias não as cumprissem, correto?


É por isso que esse conceito entrou no setor financeiro, requerendo que os times comprovem que cumpriram com seus compromissos monetários. Dessa forma, se um clube não fizer os pagamentos corretamente ou gastarem com contratações muito mais do que recebem, eles podem ser punidos.


Entenda com mais detalhes como funciona essa lógica que une o mercado futebolístico ao financeiro!


Como funciona o Fair Play Financeiro?


Observando cada vez mais falhas nas finanças das equipes de futebol, e uma clara oportunidade para lavagem de dinheiro por meio dos clubes, a UEFA (União das Federações Europeias de Futebol) criou o Órgão de Controle Financeiro de Clubes, em 2010. Sua função é fiscalizar as transações e saúde financeira dos times por meio da prestação de contas que os mesmos fazem.


É essa instituição que, ao identificar irregularidades como gastos acima de 30% do que o clube fatura, aplica sanções e punições a esses times. Algumas delas são:

  • aplicação de advertências e multas;

  • retirada de título ou premiação;

  • restrição aos jogadores que poderão ser inscritos nas competições;

  • desclassificação de campeonatos;

  • proibição da inscrição em temporadas seguintes.

A regra não se refere apenas aos salários de cada integrantes da equipe de apoio ou de jogadores, é preciso que as taxas de transmissão, departamento comercial, ingressos e ações estejam em dia também. Os projetos sociais, desenvolvimento da base, treinamento e custos de estádios não estão inclusos no Fair Play Financeiro.


O conceito têm mais força no futebol espanhol e europeu, setor de domínio ou influência da UEFA, e também onde existe uma legislação estruturada sobre o assunto. No entanto, essa tendência está se espalhando pelo mundo e oferecendo oportunidades para quem trabalha com a área financeira.


Existe Fair Play Financeiro no Brasil?


Ao entender o que é Fair Play Financeiro, você pode estar se perguntando como é a relação do nosso país com essa prática. A verdade é que ainda não existe em território nacional uma regulamentação sobre as finanças dos times como há no futebol europeu. No entanto, ela também não é uma realidade tão distante quanto muitos pensam.


A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) já discute o tema há algum tempo, mas são necessárias muitas adaptações para o cenário nacional. Isso porque os investimentos nas ligas europeias são bem diferentes do que nos campeonatos brasileiros.


Dessa forma, podemos perceber que, mesmo que ainda não exista o Fair Play Financeiro no Brasil, logo ele fará parte da realidade dos times de futebol. Isso tanto é verdade que já podemos citá-los tornando-se adeptos ao uso de criptomoedas para alguns pagamentos, portanto, a relação entre o setor econômico e o esportivo está cada vez mais "marcando em cima".


Consegue imaginar como isso impactaria tanto o setor financeiro quanto o futebolístico? Veja um exemplo da atuação do Fair Play Financeiro no país onde essas regras surgiram!


Conheça um exemplo onde o Fair Play Financeiro agiu


Você pode estar se perguntando porque o tema, antes conhecido apenas pelos acompanhantes assíduos de futebol e poucos profissionais do mercado financeiro, está cada vez mais conhecido. Fato é que algumas situações causadas por essa norma acabaram provocando mudanças nos planos de grandes times e revolta de grandes torcidas. Com isso, os holofotes das notícias – e de quem atua no ramo econômico – se voltaram para essa questão.


Podemos citar o caso de Lionel Messi, estrela do futebol argentino. Por mais de 20 anos, o atacante atuou no Barcelona, um dos mais famosos times da La Liga, a Liga Espanhola. No ano de 2021, o craque não pôde ter seu contrato renovado pelo clube por conta da regulamentação imposta nos gastos da equipe.


O salário do atacante era muito elevado e a saúde financeira do time que ele vestia a camisa já não era como antes. O Barcelona, mesmo que já tivesse contrato firmado com Messi, ultrapassaria os limites estabelecidos se continuasse pagando o valor mensal do jogador. Dessa forma, a ligação dele com o clube foi rompida, fazendo com que os espanhóis perdessem seu principal astro no esporte.


Esse é apenas um dos exemplos das diversas consequências do que uma má gestão econômica pode acarretar em times de futebol. Além de abrir os olhos das diretorias para a necessidade da nossa atuação, como profissionais da área financeira, essa prática também gerou outra consequência que impacta diretamente no setor. Saiba qual é ela!


Como os tokens estão relacionados a esse mercado


Uma mudança dessa proporção nas finanças de times tão populares, certamente geraria uma revolta entre torcedores do mundo todo. Como a insatisfação desse grupo não basta para que as regras do Fair Play Financeiro sejam deixadas de lado, os clubes encontraram uma saída junto aos avanços das Bolsas de Valores, para que seus fãs ajudassem nesses casos.


Essa solução são os Fan Tokens. Esses ativos são uma fonte de receita que está ganhando força em times tanto europeus quanto brasileiros. É um mecanismo para que clubes e torcedores se beneficiem e evitem estourar o limite de gastos. Dessa forma, o mercado financeiro e o futebolístico nunca esteve tão ligado.


Retomando o exemplo que citamos de Messi saindo do Barcelona, esse jogador logo foi contratado por outro time, o PSG (Paris Saint-Germain). Essa transação só foi possível por conta dos Tokens. O clube lançou sua criptomoeda chamada "$ PSG Fan Tokens" e, com a renda da venda delas, conseguiu cobrir o salário do atacante sem ferir as normas do Fair Play.


Para ler depois: Mercado de criptoativos: empreender ou investir?.

Os ativos, que são assegurados pelo uso da tecnologia Blockchain, são alvos tanto de quem torce pelo time francês, quanto por investidores que reconhecem nesse mercado uma grande oportunidade de lucro. Afinal, as ligas de futebol movimentaram um grande volume anualmente, mesmo entre um campeonato e outro.


Atualmente, com o Fair Play Financeiro e os Fan Tokens, esporte e mercado econômico estão intimamente ligados. Esperamos que esse post tenha te ajudado a conhecer novas formas de atuar, bem como reconhecer uma oportunidade de investimentos. O blog da EA Banking possui as informações mais completas sobre o ramo econômico, acompanhe as postagens para se manter atualizado. Confira também o conteúdo sobre as oportunidades para profissionais autônomos no ramo financeiro!