• yveleda

Eficiência em investimentos: entenda a taxa de performance



Ninguém gosta de pagar taxas, não é mesmo? Mas, quando você encontrar um fundo de investimento que tenha a chamada taxa de performance, se alegre: ele pode ser um investimento interessante!


Para entender melhor porque isso se dá, o que é essa taxa e como ela pode influenciar na sua rentabilidade, é só continuar a leitura desse conteúdo produzido pela EA Banking School.


Taxas de fundos de investimento: quais são?


Você sabia que, quando se aplica em um fundo de investimentos, esses valores são convertidos em cotas? Estes recursos, ainda, são atualizados diariamente conforme a rentabilidade desse fundo de investimento, e a partir daí certas taxas recaem sobre ele. São elas:

  • taxa de administração: é um percentual anual deduzido diariamente das cotas de investimento de cotistas, independente da performance do fundo;

  • taxa de performance: bônus direcionado ao gestor de um fundo;

  • taxa de entrada: valor cobrado para ingressar em um fundo;

  • taxa de saída: incide no momento do resgate (antecipado) do investimento no fundo, sobre o percentual resgatado.

Figuras que estão por trás da administração de um fundo de investimento

Para saber, ao certo, como essas taxas atuam para a manutenção de um fundo de investimento, é necessário entender quem são as pessoas por trás da administração desse tipo de aplicação diversificada.

Estas são as figuras por trás daquela sua carteira diversificada de investimentos:


  1. gestor: responsável por garantir a rentabilidade de sua aplicação financeira, tendo como função traçar a estratégia da carteira do fundo;

  2. administrador: responsável legal do fundo, prestando contas à CVM;

  3. custodiante: é ele quem faz a guarda das cotas dos fundo de investimento (pode ser um banco);

  4. distribuidor: quem comercializa as cotas;

  5. auditor independente: fiscaliza e audita os fundos de investimento.

Por manterem o fundo de investimento em ação, todos estes profissionais fazem jus a uma fatia da taxa de administração cobrada de um investimento!


Desvendando a taxa de performance


Primeiro, vamos esclarecer o que é a taxa de performance.


Ela nada mais é do que uma espécie de bônus direcionado à equipe de gestão do fundo no caso de a atuação financeira dele ser positiva a ponto de superar as expectativas de rentabilidade para além do índice de referência previamente definido.


Quando é cobrada a taxa de performance?


Pense conosco: se a rentabilidade de um fundo de investimento depende diretamente do plano estratégico montado pelo gestor dessas aplicações, então é justo que ele tenha uma bonificação, caso determinado investimento apresente rentabilidade superior a ao indicador de benchmark previamente definido (também chamando de indicador-alvo, meta de rentabilidade), afinal, todo mundo sai ganhando.


Um exemplo prático seria: vamos supor que um fundo de investimento rendeu 130% do CDI (Certificado de Depósito Interbancário, definido como benchmark do fundo) nos últimos 6 meses, a taxa de administração já foi cobrada sobre o índice de 100% não havendo discussões sobre, mas a taxa de performance, por sua vez, será paga sobre os 30% que o fundo rendeu acima da meta dele. Entende como é um caso de win-win?


Quando dissemos, lá na introdução, que caso você encontrasse um fundo de investimento que tivesse recorrentemente uma taxa de performance cobrada nas aplicações isso seria interessante, é porque, de fato, esses fundos apresentam rentabilidade extremamente positiva no mercado financeiro, seja para o investidor, seja para a administração do fundo.


O gestor de um fundo de investimentos tem total interesse que você, investidor, tenha um bom rendimento, visto que isso é consequência direta das decisões acertadas daquele quanto ao momento de compra e venda de ativos.


É possível, inclusive, afirmar que há um alinhamento entre o gestor e os investidores do fundo, e a união faz a força, não é mesmo?


O que é a Linha D'Água?


Ela é quem regula a taxa de performance de um fundo de investimento, de modo que define que uma taxa de performance só poderá ser cobrada mediante duas condições cumulativas:

  1. é preciso que o objetivo de rentabilidade daquele fundo tenha sido superado;

  2. o valor da cota do período de apuração tem de ser maior que o valor da cota do último período em que houve o pagamento da taxa de performance.

Como assim? É bem simples, na verdade: se a cota do fundo estava 20 reais no último período de pagamento da taxa de performance e, agora, no final do período de apuração atual, a cota está 25 reais, aí sim a taxa de performance poderá incidir sobre a rentabilidade do fundo, porém se o valor estivesse abaixo, seria necessário aguardar a próxima apuração para que a diferença seja compensada.


Quais fundos podem cobrar a taxa de performance?

  • fundos arrojados: multimercados, cambias, de ações, de dívida externa, de renda fixa (alguns de de longo prazo).

No caso de fundos conservadores (referenciado, de curto prazo, e a maioria dos de renda fixa), estes são vedados de cobrar a taxa de performance.


Taxas de performance: valores mais comuns


A praxe de mercado é a cobrança de 20% sobre o que exceder o objetivo de rentabilidade do fundo de investimento.


E aí, entendeu o que é a taxa de performance e como ela se aplica na prática na sua cota de investimento? Viu como o mercado financeiro não é um bicho de sete cabeças?! Aproveite para aprender ainda mais sobre ele aqui no blog da EA!