Currículo para Banco: dicas imprescindíveis para montar o seu

Nós já falamos que é possível mudar de carreira ao 30, inclusive através do meio bancário. Mas, como criar um currículo para banco "certeiro", daqueles que deixam o recrutador muito mais interessado? É isso que você aprenderá aqui! Nós da EA Banking School te mostramos os cuidados necessários e te ensinamos a aplicar as estratégias corretas na produção desse documento que irá te abrir muitas portas.



Considerações iniciais sobre um bom currículo para bancos


Pense conosco: quantas centenas ou milhares de currículos chegam por dia no RH de bancos e em sites que fazem essa triagem inicial da seleção? São muitos! E, por que então, dentre todos eles, os recrutadores deveriam escolher justamente o seu? Pela 3x4 bonita e bem dimensionada? Não mesmo!


De maneira geral e bem realista, você precisa levar a sério a elaboração do seu currículo, e mesmo que nunca tenha estudado estratégias de venda, esse é o momento para começar a "vender seu peixe".


Muitas pessoas acreditam que um currículo vitae é um resumo de todas as atividades empresariais que alguém já realizou, ou então um apanhado de todos as faculdades e cursos e diplomas que adquiriu com o passar dos anos. Sim, tudo isso tem de constar, mas de forma estratégica como se fosse um portfólio — uma proposta comercial.


Pode ser que, de fato, você tenha todas aquelas certificações e aprendeu muito com determinados cursos, mas o papel só demonstrará isso se você explanar nele de uma forma bem interessante ao ponto que, ao lê-lo, os recrutadores fiquem com uma pulga atrás da orelha e queiram saber mais sobre você. Na entrevista.


Afinal, como realmente fazer um bom currículo para banco?


Pode parecer besteira como vamos começar essas dicas, mas os maiores headhuntes do Brasil indicam que, antes mesmo de começar a redigir seu currículo, você se faça as seguintes perguntas – e as responda sinceramente:

  • quem sou eu?

  • o que eu quero – da vida e com esse emprego?

  • por que eu quero trabalhar na área bancária?

  • dentre as minhas habilidades, o que faço melhor?

  • como e o que vou agregar à instituição que estou me candidatando?

Chegamos a um veredito para cada uma dessas perguntas difíceis? Vamos então à elaboração do currículo para enviar ao banco. Nele, você vai precisar colocar:


1. Nome do candidato a vaga


Ninguém fala disso, mas seu nome tem de estar em destaque. Por mais que você o insira em seus dados pessoais, ainda assim, aumente a letra e negrite. Não invente fontes, siga a ABNT e coloque algo que seja legível como Arial ou Times New Roman.


No nome, use 15. No restante do texto, 12. Entretanto, vale observar como fica a composição visual durante a produção. Facilite ao recrutador sempre!


2. Foto


Apenas insira uma foto se for direcionamento da vaga a qual você irá se candidatar. Não é necessário nos demais casos.


Opte por fotografias profissionais, ou então por uma 3x4 bem tirada. A foto com braços cruzados em frente ao corpo impõe mais respeito.


3. Dados pessoais


Aqui muitas pessoas têm o costume de exagerar nos dados fornecidos e passar desde o CPF ao nome dos pais. Só faça isso se a vaga requisitar, nos demais casos, siga esse checklist:

  • nome completo;

  • endereço completo;

  • data de nascimento (para você não ter que ficar atualizando a idade, o que faz do seu currículo mais perene e maduro)

  • endereço eletrônico: nada de e-mails que fujam do contexto, com termos nada profissionais ou que remetam a outras empresas;

  • telefone de contato: aqui pode ser tanto o celular pessoal, como o número residencial ou até um telefone para recados caso você não tenha disponibilidade para atender o telefone a todo tempo;

  • estado civil: apenas acrescente se a vaga pedir, pois, algumas têm certas preferências por essa informação. Caso contrário, na entrevista seu recrutador descobrirá;

  • redes sociais: indicamos apenas colocar o link do seu perfil no LinkedIn, que é uma rede profissional.

4. Objetivos profissionais


Se você está se candidatando a uma vaga bancária, é a isso que você deve dar destaque.


Se existem vários cargos disponíveis na agência bancária a qual se candidatará, você pode citar mais de uma vaga de interesse, mas apenas se elas conversarem entre si.


Jamais coloque frases genéricas, do tipo "estou à disposição de empresa para o cargo que considerar que melhor me encaixo". Isso demostra que você não avaliou bem o que quer e não possui foco, logo, já vai ficar de fora do processo de seleção.


Ademais, não é para falar dos seus objetivos profissionais da vida toda, do tipo "desejo começar hoje como gerente e, daqui alguns anos, ser o presidente do Brasil, se possível". Além não ser correlato, ainda é super incerto. Mais uma vez, perde-se o foco. Imagine o recrutador lendo isso.


5. Competências e habilidades profissionais


A nossa maior dica aqui é: não invente uma habilidade que você não tem. Algumas que você pode citar, caso combinarem com seu perfil, são:

  • boa comunicação;

  • proatividade;

  • foco em resultados;

  • liderança (se tiver experiência com isso, pois na entrevista irão te perguntar sobre);

  • entusiamo;

  • equilíbrio emocional;

  • colaboração e trabalho em equipe;

  • flexibilidade e capacidade de adaptação;

  • criatividade;

  • pensamento crítico;

  • capacidade de inovação, etc.

Não estenda muito essa lista, pois pode ficar cansativo. Mas, se você abarcar várias habilidades, vale cita-las, então, em forma de texto corrido.


Aqui vale também citar o tipo da CNH e se possui alguma certificação bancária.


6. Qualificações e Formação Profissional


De forma simples e resumida, você irá contar ao seu recrutador os cursos que fez (faculdade, pós-graduação, mestrado, MBA, etc). Se possível, indicar o tema do trabalho de conclusão de cada um desses cursos. Não esquecer dos períodos de início e final (ou o status "em andamento").


Isso fará com que o recrutador descanse sua leitura e leia o seu currículo até o final.

Para ler depois: "A Importância dos estudos para a sua carreira no mercado financeiro".


7. Idiomas


No universo bancário, esse pode ser um fator decisivo, dependendo do cargo.

Porém, siga a indicação da vaga: ela pede inglês básico? Você coloca, se for básico. Pede intermediário? Insira se consegue "se virar". Pede avançado? A entrevista será em inglês e isso quer dizer que querem alguém fluente.


Se não especificarem níveis, pode ser interessante colocar "intermediário".


8. Experiências profissionais


Aqui também é uma etapa que você não deverá se estender. Cite:

  • o nome da empresa que trabalhou;

  • o período;

  • o cargo;

  • as funções realizadas;

  • e, o pulo do gato: os resultados obtidos (se obtidos, pois na entrevista vão querer saber mais sobre)

9. Cursos de Extensão e outras experiências


Fez algum curso de extensão interessante (que agregue à vaga)? Os cursos da EA Banking School, por exemplo, seriam interessantes citar aqui! Significaria que você já vem se preparando com quem entende do mercado financeiro.


Além disso, já publicou artigos (na semântica da vaga)? Então cite aqui também, e se for online – em bases científicas ou revistas online de universidade – pode colocar o link!


Na hora de enviar o currículo para o banco, faça-o sempre em PDF para este não ser modificado!


E aí, partiu trabalhar em banco? Com essas dicas a contratação é quase certa, hein! Para ir se preparando, leia nosso artigo: "Quanto ganha um bancário? Lista dos diferentes cargos!".