ea-banking-school-logo.png

Entenda o conceito de concorrência perfeita no mercado



O conceito de concorrência perfeita é muito importante dentro dos mais diferentes mercados, desde os produtos industriais até produtos financeiros e commodities. Dele derivam todos os outros cenários de análise em mercados, e no post de hoje você entende melhor como esse conceito funciona.


O que é a concorrência perfeita?


Podemos dizer que concorrência perfeita é um padrão ideal que, exatamente por isso, não existe no mundo real. Entretanto, isso não afeta sua função primordial, que é oferecer sempre um ponto de apoio, um padrão hipotético de como seria o estado perfeito, puro da concorrência entre os players de um mercado.


A concorrência perfeita se daria dentro de um conjunto de condições ideais de mercado, entre elas:

  • Um alto número de vendedor em um determinado nicho;

  • Produtos relativamente parecidos;

  • Preços similares;

  • Muitos compradores dispostos a comprar o(s) produto(s) em questão;

  • Facilidade para empresas entrarem e saírem do mercado em questão;

  • Um alto nível de informação sobre o(s) produto(s), o que facilita a tomada de decisão dos compradores de maneira assertiva.

É a partir desse "caminho do meio" de mercado que os tipos de mercado, seus cenários, seus descontroles e tendências são projetados.


O que são empresas perfeitamente competitivas?


Quanto mais próxima desse padrão, mais competitiva uma empresa ou vendedora é considerada. Quando há uma competitividade perfeita entre as vendedoras de um determinado bem, há também uma equalização no preço.


Essa equalização transforma as empresas em tomadoras de preço, isto é, elas operam com um mesmo valor sob o risco de perder competitividade caso subam seu preço ou com o risco de perder lucratividade e volume de produtos caso abaixem seus preços.


Em um mercado perfeitamente competitivo, nenhum player seria capaz de, sozinho, definir os preços, que seriam regulados exclusivamente pela relação entre oferta e demanda.


Mercados como os de grãos – como trigo, milho e soja –, por exemplo, por terem uma enorme demanda e um produto idêntico são ótimos exemplos que chegam muito perto da competição perfeita.


Ativos financeiros e outros serviços da área também têm grande tendência à competição perfeita, especialmente quando negociados em ambientes como balcões e bolsa de valores.


Qual a importância da concorrência perfeita?


Mais do que um termômetro para diversos mercados, o conceito de concorrência perfeita é muito importante nas análises de planejadores financeiros, principalmente para empresas que consideram entrar em um determinado mercado aproveitando suas melhores condições, de maneira que, excluindo fatores exógenos ao mercado, é possível medir o nível de oferta e demanda.


Além de auxiliar empresas, o padrão de concorrência perfeita também é capaz de oferecer métricas importantes para governos e políticas econômicas e legislações que ajudem a coibir práticas ilegais dentro do mercados e a formação de monopólios ou oligopólios, otimizando a estrutura de mercado e as maneiras de torná-lo mais efetivo e justo.


A busca pela concorrência perfeita pode ser um guia positivo para ajudar na estruturação de mercados em que a entrada de empresas é facilitada e permite uma estruturação mais assertiva, já que esse tipo de competição garante maiores lucros no curto prazo.


Já no longo prazo, os lucros diminuem e se tornam nulos para os players daquele cenário, ajudando a regular os custos de produção e outros custos periféricos de manutenção, distribuição e afins, o que mantém uma regulação constante dos preços praticados dentro daquele mercado, cada vez mais relacionado à proporção entre oferta e demanda.


Mais do que isso, o conceito de concorrência perfeita é um grande motor de inovação e mobilidade de mercado: quando a presença em longo prazo da empresa naquele mercado passa a oferecer lucros próximos de nulo, isso força a empresa a regular sua produção.


Essa regulação pode vir de diferentes maneiras: ou através da diminuição de produção, do aumento, da diversificação de atividades daquela empresa dentro do mercado ou através da implementação de tecnologias que otimizem custos e prazos até que o retorno de investimento se estabilize.


Em todo caso, as empresas podem deixar aquele mercado, abrindo uma oportunidade para outras empresas ingressarem ou mesmo regulando a taxa de oferta daquele mercado, regularizando o preço médio para as demais empresas concorrentes.


Outros tipos de mercado


É a partir do conceito de concorrência perfeita que outras tendências de mercado se configuram, como os monopólios, em que um mercado é virtualmente dominado por uma única empresa, de maneira direta ou indireta, ou os oligopólios, em que um volume pequeno de empresas domina um mercado.


Outra situação é haver um volume de demanda menor que o volume de oferta, denominados monopsônio e oligopsônio, apresentando ou um desequilíbrio de mercado ou um ambiente de alta dificuldade, como é o caso de produtos luxuosos e alguns tipos de tecnologias em estado mais experimental.


Agora que você conheceu esse conceito importante sobre o funcionamento dos mercados, está mais um passo de conhecimento adiante em sua jornada formativa, e para ter o melhor aproveitamento e aprovação nas principais certificações, conheça a EA Banking School, oferecemos os melhores cursos e também conteúdo especializado toda semana aqui em nosso blog! Por que não continua por aqui conferindo o nosso post: 10 aprendizados de um bancário de alta performance?