ea-banking-school-logo.png

Bancário zen: manter o foco em meio ao caos

Atualizado: Jun 9

Mais uma vez o professor, gerente geral e CFP®, Roberto Cazzetta, traz até você um artigo único, que vai ensiná-lo a como se tornar um bancário zen.





Após mais de dez anos no setor bancário de varejo, entre experiências positivas e negativas (felizmente, muito mais positivas) e interações com colegas de profissão do mesmo banco ou de outras instituições, uma observação em especial ficou muito evidente: o bancário convive em um ambiente de alta pressão.


De uns 5 ou 6 anos para cá, comecei a aprofundar estudos sobre desenvolvimento pessoal, que foi o melhor conhecimento que poderia ter adquirido, pois é um aprendizado que pode ser aplicado em todas as áreas da vida.



Inteligência Emocional na profissão bancária

A inteligência emocional é, sem dúvida, a disciplina do desenvolvimento pessoal de maior valor, pois ela é a base de todo o comportamento que envolve o relacionamento interpessoal, que é uma das atividades mais praticadas por quem trabalha no varejo bancário: lidar com pessoas o tempo todo.


Além de lidar com pessoas, lida-se com o lado financeiro delas, o que gera um componente adicional de tensão. Somado a isso, temos o ambiente de trabalho em um banco, que pode ser bastante tenso em função da pressão por resultados, falta de tempo e, principalmente, pela excessiva quantidade de informações e variedade de produtos que é necessário lidar.


Por fim, há muitas pessoas em cargos de gestão que ainda operam com métodos de trabalho ultrapassados (no meu ponto de vista), com excesso de controle, reuniões improdutivas e falta de treinamento qualificado.


Dito isto, posso afirmar sem medo de errar que a profissão bancária é uma das mais difíceis do ponto de vista de exigência emocional e, infelizmente, tal qual a maioria das profissões, a falta de uma preparação emocional adequada acaba resultando em desmotivação, estresse, ansiedade e, por consequência, improdutividade.


Mas então, como começar a desenvolver melhor a inteligência emocional para performar melhor no trabalho e se livrar do estresse resultante do ambiente de trabalho? Aí vão alguns insights em formato de dicas rápidas para melhor absorção:



Tenha uma mentalidade estoica

Se você nunca ouviu falar de estoicismo e das meditações de Marco Aurélio, não sabe o que está perdendo. Trata-se de um conhecimento valiosíssimo e altamente aplicável na sua vida pessoal e profissional.


Em resumo, a mentalidade estoica diz respeito a como desenvolver a ataraxia, “imperturbabilidade da alma”, ou seja, é uma reflexão de como manter o foco naquilo que você pode efetivamente controlar e ignorar todo o restante.


Seria muita pretensão minha tentar resumir em um parágrafo, portanto fica aqui o pedido para que pesquise mais sobre essa e outras teorias filosóficas. Aliás, a filosofia é uma ótima fonte de conhecimento e, diferentemente do que pensamos, altamente aplicável a qualquer área e situação da vida, inclusive na rotina bancária.


Seja organizado e gerencie muito bem o tempo

Muito da sua fonte de estresse vem do excesso de demandas, tarefas e atividades que são impossíveis de concluir no tempo que nos é solicitado. Aprender a ter um método de trabalho, organizar os inputs, filtrá-los, processá-los adequadamente e gerar outputs relevantes, é uma tarefa tão difícil quanto importantíssima.


Existem diversos livros sobre produtividade, organização e gestão do tempo, mas vou deixar aqui algumas sugestões de bibliografia ao final do artigo. Gerenciar bem o tempo resulta naquilo que mais alivia a ansiedade e o estresse, ao mesmo tempo em que aumenta o prazer e a satisfação: focar no agora, na atividade que se está fazendo no momento.

Cuide da sua saúde física

Não há dúvidas de que a saúde mental depende da saúde física/corporal e vice-versa. Aqui, certamente você irá pensar que o que estou falando é mais um daqueles clichês que se encontra na internet, mas realmente é impossível estar com a mente saudável sem estar com o corpo saudável. Basicamente, são três as áreas em que devemos estar bem:


Nutrição

O que você se alimenta é o seu combustível. O que acontece se você tentar andar em um carro de corrida com um combustível ruim? Simplesmente, não funciona!


Atividade Física

A analogia é muito clara. Se você não aguenta 30 minutos de um exercício de média intensidade (se mede pela frequência cardíaca), como irá aguentar de 6 a 8 horas de intensa pressão emocional? A resiliência emocional, ou a capacidade de tolerar frustrações, está muito ligada à sua resiliência física.


Sem falar na disciplina envolvida na prática de atividade física, que nada mais é do que ter o hábito de sentir-se desconfortável, cansado e com dores. Quem suporta isso, consegue suportar com muito mais facilidade a pressão psicológica.


Sono/Descanso

Entre outras coisas, o sono serve para fazer uma limpeza mental, excluir as informações desnecessárias e absorver as que são importantes. Como já falado, o grande excesso de informações a que estamos expostos hoje em dia é uma fonte de estresse quase que inesgotável.


Além de consumir menos informações, precisamos nos recuperar bem e ter um descanso mental adequado para a quantidade de fatos, dados e interações com os quais precisamos lidar diariamente no banco


Obtenha CRA em alguma área específica

Outra fonte de estresse e desmotivação que não é tão percebida é o fato de nos sentirmos incapazes para algumas atividades, principalmente quando isso é exposto publicamente nos momentos em que os resultados não estão bons. O ser humano tem muitas falhas e uma delas é tentar inferiorizar outros seres humanos para satisfazer o seu próprio ego.


Você não pode nunca se desmotivar pela maneira, palavras e atitudes de outra pessoa. Um modo de prevenir isso é se tornar muito bom em alguma área dentro do banco gerando maior CRA (Credibilidade – Reputação e Autoridade) junto aos seus pares e superiores.


Por exemplo, ser muito bom e mostrar resultados em captação de investimentos e servir de referência técnica para colegas e clientes. Quando você consegue fazer isso, automaticamente ganha mais autoconfiança para lidar com eventuais críticas e isso ajuda muito na imunização mental.


Isso me remete a uma pergunta que costumo me fazer: como você reagiria se fosse duramente criticado em meio aos colegas por um superior ou cliente? A resposta pode dizer muito sobre a sua autoconfiança e inteligência emocional.


Por fim, obviamente é impossível eliminar as fontes de estresse seja no banco ou em qualquer área da vida. Basicamente, o que precisamos é aprender a lidar e neutralizar essas fontes e aumentar a nossa inteligência e resiliência emocional. Seguir os insights mencionados é um ótimo começo em busca do equilíbrio psicológico e, consequentemente, o ganho de produtividade que virá da sua maior força e motivação.



4 dicas bibliográficas

Agora confira algumas dicas de bibliografias sugeridas pelo professor:

Trabalhe 4 horas por semana

A coragem de não agradar

A arte de fazer acontecer

Meditações


Gostou do conteúdo? Então leia mais artigos como esse no Blog da EA.