ea-banking-school-logo.png

A importância das certificações no mercado financeiro

Atualizado: Ago 30

Fundamental na vida profissional de quem ingressa no mercado financeiro, as certificações da área são temas abordados pela Marisa Dornelles, que é CFP®️ e Embaixadora da Planejar, e fez parte do evento Nossas Finanças, Nossas Regras, realizado em alusão à Semana da Mulher.


Ela é uma das personalidades de destaque do segmento financeiro do país que fizeram parte do espaço que abrimos para discussões mais profundas sobre o papel feminino no setor.


Neste artigo, ela complementa os conteúdos que foram tratados em sua live do dia 12 de março, como, por exemplo: as principais certificações e os índices que refletem a realidade das mulheres, atualmente. Confira!



A importância das certificações no mercado financeiro


Investimentos, taxas de juros, inflação, são palavras que estão cada vez mais em voga quando acessamos à Internet ou lemos notícias sobre atualidades. Os brasileiros, finalmente, começaram a se interessar um pouco mais pela sua vida financeira. Um dos principais motivos para isso foi, sem dúvida, a pandemia. Ela trouxe à tona algumas realidades que não eram vivenciadas na prática pelas pessoas, de uma forma geral. Seja porque foram pegas de surpresa, sem reserva de emergência, porque perceberam uma mudança no seu orçamento doméstico ou até porque conseguiram economizar um pouco durante esse período.


Assim, as pessoas começaram a enxergar que existem possibilidades de investimento além da caderneta de poupança (apesar de que ela continua sendo a campeã dos investimentos de grande parte da população, segundo dados da ANBIMA). E, com essa procura por outros investimentos, ficou ainda mais evidente a importância dos profissionais que trabalham no mercado financeiro, auxiliando as pessoas a entender melhor esse mundo novo.


E é sobre essa qualificação dos profissionais do Mercado que se debruçará este artigo.

A melhor forma de obter conhecimento, qualificação profissional e demonstrar princípios éticos, de forma a passar maior confiança aos seus clientes, é por meio das Certificações.



Por que existem as certificações?


Segundo a ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), elas existem para assegurar um padrão de conduta entre os profissionais que atuam na prospecção de clientes, na venda de produtos de investimento, assessoria aos gerentes de contas de investidores e gestão profissional de recursos de terceiros.

Há uma gama diversa de Certificações, que podem ser exigidas para diferentes áreas e funções dentro do mercado financeiro.


Além de esmiuçá-las, vamos apontar uma nítida desigualdade que precisa ser discutida nessa Semana da Mulher: o número de mulheres certificadas, a medida em que aumenta o nível de complexidade das certificações, se torna muito menor do que o número de homens certificados. Assim, os homens ainda ocupam uma posição de destaque e tomada de decisões na área.


Vamos iniciar pelas certificações oferecidas pela ANBIMA:


CPA 10 – é considerada a porta de entrada para o mercado financeiro, pois é a mais básica das certificações. É destinada aos profissionais que atuam na comercialização e distribuição de produtos de investimento em agências bancárias ou plataformas de investimento. Todos os profissionais que trabalham na área de venda ou prospecção de investimento devem ter suas habilidades certificadas por uma entidade reconhecida. A última atualização da ANBIMA, de dezembro de 2020, mostra que atualmente são 438.000 pessoas com essa certificação em todo o Brasil. Destas, 53% são mulheres. É a única certificação em que o número de mulheres é maior do que o número de homens.



CPA 20 – é destinada aos profissionais que atuam na distribuição de produtos de investimento para clientes dos segmentos varejo, alta renda, private, corporate e investidores institucionais em agências bancárias ou plataformas de atendimento. Ao obter a CPA 20, o profissional pode, automaticamente, exercer as atividades abrangidas pela CPA 10.


A CPA 20 coloca o profissional certificado em um patamar acima. Sua posição é de mais destaque e muito mais próxima do investidor, atuando principalmente na manutenção de carteira de clientes Alta Renda e Private. Atualmente são 166.373 profissionais com essa certificação. Destes, 44% são mulheres.



CEA é a Certificação de especialista em investimentos da ANBIMA. Ela certifica profissionais que assessoram os gerentes de conta de clientes pessoas físicas em investimentos, podendo indicar produtos. Ao obter a CEA o profissional pode, automaticamente, exercer as atividades abrangidas pela CPA 10 e pela CPA 20.


Essa certificação é considerada uma das mais importantes do Mercado e está entre as certificações que autorizam o profissional a atuar como consultor CVM.

Atualmente são 12.705 profissionais, dos quais apenas 32% são mulheres.



CGA – é a Certificação de Gestores ANBIMA. Tem objetivo de certificar profissionais que fazem gestão de recursos de terceiros em fundos de investimento de renda fixa, de ações, cambiais e multimercado.

Ela é obrigatória para quem ocupa cargos com poder de decisão de compra e venda dos ativos financeiros que integram as carteiras desses veículos de investimento. A certificação acaba de ser reformulada. O primeiro exame do novo formato será aplicado em abril de 2021.


Para fazer a prova da nova CGA é preciso possuir CFG (certificação que atesta o conhecimento dos fundamentos da gestão), CFA ou CAIA (certificações internacionais).

Neste novo formato, haverá dois caminhos a ser seguidos: a CGA, que faz gestão dos fundos tradicionais e a CGE, que habilita a atuação em gestão profissional de produtos estruturados.


Atualmente, existem 4.260 profissionais CGA. Destes, apenas 7% são mulheres.

Além das certificações oferecidas pela ANBIMA, algumas outras entidades nacionais e internacionais também oferecem certificações importantes para profissionais que desejam atuar no Mercado Financeiro, quais são:


AAI – exame de certificação para Agentes Autônomos de Investimentos, oferecido pela ANCORD - Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários, Câmbio e Mercadorias.


O AAI atua nos mercados financeiro e de capitais nacional, realizando as atividades de prospecção e captação de clientes, recepção, registro e transmissão de ordens e prestação de informações sobre produtos oferecidos. São os profissionais que atuam como assessores nas corretoras de valores mobiliários. Essa certificação é a única possível para que o profissional obtenha a autorização da CVM para atuar como agente autônomo de investimento, uma das profissões reguladas e fiscalizadas pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários).


Atualmente, são 13.621 profissionais pessoa física e 1.165 profissionais pessoa jurídica.



CFP® – é uma certificação internacional de distinção, de caráter não obrigatório, que prepara o profissional para o exercício da atividade de planejador financeiro pessoal. No Brasil a entidade certificadora é a Planejar, Associação Brasileira de Planejadores Financeiros, afiliada ao Financial Planning Standards Board – FPSB. O FPSB é o responsável pelo gerenciamento, desenvolvimento e promoção da marca CFP no mundo.


Para obter a certificação CFP® é preciso:


- Ser aprovado no Exame;

- Comprovar experiência profissional no atendimento direto ao cliente pessoa física de 3 anos ou de 1 ano através de experiência profissional supervisionada;

- Estar de acordo e aderir ao código de ética da Planejar;

- Ser formado em curso de nível superior reconhecido pelo MEC.


A prova da certificação CFP abrange 6 áreas de conhecimento: Planejamento Financeiro e Ética, Gestão de Investimentos, Planejamento da aposentadoria, Gestão de Riscos e Seguros, Planejamento Fiscal e Planejamento Sucessório.


Atualmente, são 5.021 profissionais no Brasil e destes apenas 37% são mulheres.

Outra curiosidade é que 77% desses profissionais estão no eixo RJ-SP.



CNPI - Realizado pela Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais, o Certificado Nacional do Profissional de Investimentos (CNPI) é obrigatório e solicitado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para que uma pessoa exerça a função de Analista de Valores Mobiliários.


Ou seja, quem deseja trabalhar como especialista em análises e emissão de relatórios de bancos ou corretoras precisa deste certificado. Vale ressaltar que ele é dividido em três tipos: CNPI (para analistas fundamentalistas), CNPI-T (para analistas técnicos) e CNPI-P, sendo o mais completo e destinada aos analistas técnicos e fundamentalistas.


O analista, além de ser aprovado no exame de qualificação técnica, também deve obedecer ao código de conduta profissional da entidade que o credenciou. Com isto é possível evitar situações de conflito de interesse, buscando informações idôneas e fidedignas, para usar como base de suas análises e recomendações, e mantendo independência em relação à pessoa ou instituição a qual estiver vinculado.


Atualmente, são 892 profissionais e destes 15% são mulheres.



CFA - A CFA (Chartered Financial Analist) é fornecida pelo CFA Institute. Assim como a certificação CFP, a certificação CFA não é obrigatória para nenhuma profissão, mas é a mais prestigiada certificação de todo o mercado financeiro. Por esse motivo também é considerada a mais difícil. Esta certificação é composta por 3 provas: Nível I, Nível II e Nível III. Para obter o certificado você deve ser aprovado nesta ordem. A complexidade é tão grande que a certificação CFA é comparada a um curso superior em razão de tempo e exigências. O candidato tem 6 horas para fazer cada nível.


A CFA está entre as principais certificações do mercado financeiro mundial. A prova é feita em inglês e, portanto, é preciso ser fluente no idioma. Só pode usar a sigla CFA quem passou nas 3 provas e tem no mínimo 3 anos de experiência no mercado financeiro. Essa certificação é o troféu de ouro das certificações.


Atualmente, no Brasil são 1.200 profissionais certificados e destes apenas 10% são mulheres.


No mundo não é muito diferente. De todos os profissionais CFA, 19% são mulheres.

Diante do exposto, é preciso ressaltar que o processo de preparação para as certificações, por si só, é o maior ganho que os profissionais do mercado financeiro podem obter. Estudar conteúdos de grande utilidade e aplicabilidade no dia a dia da maioria dos profissionais do mercado financeiro facilita a assimilação e o entendimento da parte teórica. Dessa forma, mesmo que a aprovação não venha na primeira tentativa, com certeza o profissional já ficou muito mais capacitado, até que a aprovação chegue!